22 fevereiro, 2018

Sou Fênix ...



Não quero saber o que você pensou antes de errar comigo e nem de exterminar todos os 
resquícios de esperança que eu tinha no nosso amor.
Um amor que, para mim, era o mais verdadeiro e simples possível.
Me enganei.
Que amor onde?
E quando?
Em qual parte da história?
Nenhuma! 
Não, não, não.
Nadica de nada de amor.
Agora quero que você saia de mim como suor que sai do corpo em um dia quente; 
rápido e indolor.
Quero te cuspir dos meus lábios, te expulsar da minha mente, te chutar da minha alma 
e te exorcizar do meu corpo.
Sim, exatamente!
Quero fingir que você nunca foi parte do que eu sou, quero me livrar de toda aquela 
porcaria de vida que a gente planejou.
Eu quero!
Quero muito, QUERO INFINITAMENTE QUE VOCÊ VIRE POEIRA NA MINHA ALMA!
Por te amar tanto, por me amar tanto, quero que sejamos livres, para não sofrer mais 
do que já sofremos.
Você foi o erro mais gostoso que eu cometi.
O delírio mais forte, o grito mais ensurdecedor.
Essa sou eu agora, em paz, com a consciência leve por ter, ao menos, tentado ser a 
melhor pessoa do mundo pra você, pra nós, pra mim.
Eu, em paz, por ser uma pessoa diferente e cheia de luz, independente dos tropeços.
Eu, Fênix, me bordando novamente por entre as cinzas.

0 comentários:

Postar um comentário


Volte sempre !! Beijokas de jan e em memória Tony